Brasileiros gastam US$ 2,7 bi em sites de apostas do exterior no primeiro trimestre

Apostas I 26.04.23

Por: Magno José

Compartilhe:
Brasileiros gastam US$ 2,7 bi em sites de apostas do exterior no primeiro trimestre
Desse total segundo o Banco Central, cerca de US$ 600 milhões se referem à remuneração paga aos sites estrangeiros que organizam essas apostas e cerca de US$ 1,7 bilhão voltaram sob a forma de transferências de prêmios para os vencedores dessas apostas que residem dentro do território nacional (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

As remessas de brasileiros ao exterior nos sites de aposta chegaram a cerca de US$ 2,7 bilhões no primeiro trimestre deste ano, de acordo com um novo conjunto de estatísticas divulgado pelo Banco Central dentro do balanço de pagamentos.

Desse total, cerca de US$ 600 milhões se referem à remuneração paga aos sites estrangeiros que organizam essas apostas. Algo como US$ 2,1 bilhões são os recursos enviados ao exterior para compor os fundos que são rateados entre os vencedores das apostas.

Voltaram ao Brasil cerca de US$ 1,7 bilhão sob a forma de transferências de prêmios para os vencedores dessas apostas que residem dentro do território nacional.

Em reais, essa transferência total de US$ 2,7 bilhões ao exterior equivale a R$ 13,7 bilhões, considerando uma cotação do dólar de R$ 5,08. Mantido esse ritmo, as transferências anuais podem chegar perto de US$ 11 bilhões, ou cerca de R$ 55 bilhões em moeda nacional.

Desde janeiro passado, as estatísticas do balanço de pagamentos passaram a dar uma ideia – ainda que não exata – dos valores que transitam nessas apostas internacionais.

Com a entrada em vigor da nova lei cambial, o Banco Central passou a exigir que esses recursos fossem informados, nas estatísticas, com um código diferente, o que permite ter uma ideia mais aproximada dos valores dessas apostas internacionais.

Até o fim do ano passado, essas apostas eram contabilizadas, para fins de estatísticas de balanço de pagamento, junto com as compras de pequeno valor. Essas compras somaram, no ano passado, US$ 5,012 bilhões.

A partir deste ano, os valores transitados nos sites de apostas passaram a ser contabilizados em duas contas diferentes.

Numa conta, os chamados “serviços culturais, pessoais e recreativos”, são contabilizadas as remessas a título de remuneração das empresas que organizam essas apostas.

Nessa mesma conta são registradas outras operações, por isso não é possível saber com exatidão o volume de remessas para os sites de apostas. Mas é possível ter uma ideia muito aproximada dos valores pelo crescimento das remessas ocorrida entre o primeiro trimestre de 2022 e de 2023.

Essa rubrica apresentou um incremento de US$ 587 milhões entre um período e outro, passando de US$ 79 milhões para US$ 666 milhões. Boa parte dessa diferença, de US$ 587 milhões, é explicada pela contabilização da remuneração de sites de apostas.

Também houve crescimento no ingresso de recursos vindos do exterior nessa rubrica, de US$ 104 milhões no primeiro trimestre, que se presume que esteja ligado à remuneração de empresas brasileiras que prestam serviços de apostas no exterior.

A outra conta que contabiliza os fluxos de apostas é a rubrica “outras transferências”, que fica entre a chamada renda secundária. Nessa conta, entram as remessas para o exterior que vão compor o bolo que será dividido entre os vencedores das apostas.

Também há outras remessas que transitam por essa conta, como doações internacionais de recursos, por isso não dá para dizer exatamente o que é uma coisa e outra.

Mas, pela variação dos fluxos entre o primeiro trimestre de 2022 e o primeiro trimestre de 2023, dá para ter uma ideia muito aproximada do que foi remetido pelos brasileiros nos sites de aposta.

De um período para o outro, as remessas cresceram US$ 2,129 bilhões, de US$ 195 milhões para US$ 2,320 bilhões. Ou seja, os brasileiros transferiram ao país cerca de US$ 2,129 bilhões para os sites de apostas para formar o bolo que é rateado entre os vencedores.

De outro lado, entraram no Brasil cerca de US$ 1,7 bilhão, de prêmios recebidos por residentes no território nacional.

Considerando entradas e saídas, o Brasil registra um déficit de cerca de US$ 930 milhões no primeiro trimestre nos sites de apostas. A título de comparação, o déficit brasileiro em viagens internacionais foi de US$ 1,526 bilhão no período. (Valor Econômico)

Comentar com o Facebook