Deputados querem informações para reativar Navio Cassino de Puerto Iguazú

Compartilhar
A embarcação está abandonada e sem atividades desde 2013, podendo trazer riscos ambientais ao local (Foto: Divulgação)

Em 2013, através de uma coletiva de imprensa e ampla cobertura nos meios de comunicação, o então Presidente do Instituto Provincial de Loterías y Casinos Sociedad del Estado (IPLyC), em conjunto com o Secretário de Planeamento Estratégico da Província de Misiones, na Argentina, acompanhado por representantes da Sociedade Geral de Turismo e dos Serviços SA, anunciaram o lançamento do projeto denominado “Mini Las Vegas”, que incluía a instalação de um Barco Hotel Casino, no Rio Iguaçu, em Puerto Iguazú, cidade que faz fronteira na Argentina com Foz do Iguaçu.

Apesar dos pedidos e apresentações feitas, nunca houve informação oficial sobre os custos assumidos pela Província, mas se sabia que o investimento feito para a aquisição do navio teria sido de 250 milhões de pesos, cerca de 15,2 milhões de reais na cotação atual. “O edital informava a criação de 500 fontes de trabalho e um investimento fabuloso, que depois de vários anos nunca se concretizou”, afirma o autor do projeto apresentado na Câmara dos Deputados.

Conforme o reconhecimento feito pelo parlamentar no lugar, atualmente existe uma empresa contratada pelos responsáveis pelo barco, com os serviços de um marinheiro, por isso os gastos presentes nessas tarefas, também fazem parte dos pedidos feitos no projeto.

“Além da óbvia frustração do projeto Mini Las Vegas, quando foi tornado público, também estamos preocupados com o impacto ambiental que a situação causa de ter um navio fantasma abandonado à sua sorte por tantos anos, por isso um relatório também é solicitado sobre quais tarefas de mitigação são realizadas”, acrescentou o deputado González.

Pedido de apoio

No projeto recentemente apresentado na Câmara dos Deputados, é solicitado que o Executivo Provincial informe sobre o andamento da execução do projeto, indicando de forma discriminada os investimentos realizados pelo Estado Provincial desde o início até o momento; que sejam enviadas cópias do projeto de investimento e do acordo ou convênios firmados com a empresa participante; informar sobre as despesas incorridas com a manutenção da embarcação, tais como guarda, pagamento dos serviços do marinheiro e manutenção geral da embarcação; o que se espera fazer com o projeto em questão, para lhe dar continuidade ou abortar sua execução e, conforme o caso, quais consequências a decisão a ser tomada contratual e economicamente geraria para os cofres da Província.

Se forem realizados estudos sobre o impacto ambiental causado pela presença da embarcação em questão há mais de 7 anos depositada no local e quais as tarefas de mitigação e quaisquer outras informações ou apresentação de documentação de interesse.

Esperam que o bloco do partido Unión Cívica Radical tenha as informações solicitadas para avaliar as ações a seguir. (Portal da Cidade Foz do Iguaçu – Foz do Iguaçu – PR – com La Voz de Cataratas)

Comentar com o Facebook