Diniz cobra punição exemplar a envolvidos com apostas, mas pede para jogadores não serem execrados

Apostas I 17.05.23

Por: Elaine Silva

Compartilhe:
Diniz durante Fluminense x Flamengo pela Copa do Brasil (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)

A Operação Penalidade Máxima II, que investiga manipulações em apostas esportivas e tornou 16 envolvidos em réus, entre eles sete jogadores, caiu como uma bomba no futebol brasileiro. Após a partida entre Fluminense e Flamengo, Fernando Diniz foi questionado sobre o tema.

Durante entrevista coletiva, o comandante foi perguntando sobre a palestra feita pelo Fluminense para alertar atletas dos perigos da organização criminosa, o Diniz deu sua opinião sobre o assunto.
O treinador do Fluminense cobrou punição aos envolvidos que tiverem uma participação comprovada, mas fez um pedido: não execrar ninguém.

“Quem participou do esquema tem que ser punido com o rigor da lei, mas não tem que ser execrado, tem que ser punido como uma pessoa que erra. Todo mundo que está envolvido com isso tem que ser punido da maneira mais rigorosa possível, mas não determinar o fim da vida de ninguém. Isso a gente não pode fazer”, disse.

“Tem muita gente que errou, não deveria ter feito isso, é uma coisa que, se a gente soubesse, poderia fazer de forma preventiva para não dar no que deu. Mas todos, para servir de exemplo, temos que ser muito rigorosos, regulamentar, porque isso é um dano muito grande para o futebol”, completou.

Em campo, o Fluminense ficou no 0 a 0 com o Flamengo, pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A volta está marcada para o dia 1º de junho. (Assista ao vídeo no ESPN.com.br)

Comentar com o Facebook