Empresa aérea quer que as pessoas façam home-office num cassino de Vegas

Compartilhar
A partir do final de agosto, a companhia aérea planeja vender pacotes de viagem chamados de “Work From Las Vegas”
A empresa aérea americana Allegiant Air de vez em quando se mete em alguma polêmica, principalmente por se posicionar como uma companhia alternativa e que não tem todas as “obrigações” das grandes aéreas do seu país. Com a pandemia, a empresa baseada em Las Vegas precisou procurar um novo tipo de viajante, aquele que quer trabalhar em home-office, mas que não abre mão de um cassino.
É isso o que mostra uma reportagem do USA Today. Segundo a reportagem, a partir do final de agosto, a companhia aérea planeja vender pacotes de viagem chamados de “Work From Las Vegas”, que incluem passagens aéreas sem escalas e um quarto de hotel com o conceito de “voar, trabalhar e se divertir”.
O que acontece em Vegas…
Ao jornal, o diretor de marketing da Allegiant Air, Scott DeAngelo, disse que a empresa estava trabalhando com uma importante operadora de cassinos de Las Vegas para aproveitar as oportunidades que o aumento no trabalho remoto criou. Ele disse que o número de viajantes individuais que pagam para “trabalhar remotamente, mas fora de casa” está subindo.
Do Aeroporto Internacional de Las Vegas, a Allegiant Air voa para 58 cidades, tornando mais fácil o projeto. Além disso, os hotéis da Las Vegas Strip (a maior avenida local) possui vários quartos vazios, enquanto eventos e convenções estão proibidos no futuro próximo.
Assim, a empresa entende que faz sentido oferecer pacotes de viagem baratos nessas circunstâncias, especialmente agora que as férias de verão (no hemisfério norte) estão no fim e a companhia aérea compete com outras empresas do setor por um número reduzido de viajantes.
… fica em Vegas
Os pacotes aéreos e de quartos para uma estadia de quatro noites durante a semana no MGM Grand ou no luxuoso Bellagio, em meados de setembro, custam de US$ 230 a US$ 640 ou um pouco mais, dependendo da origem do voo. Este preço inclui tudo, menos a marcação de assento, taxas de bagagem e taxas de resort.
DeAngelo acrescentou que os hotéis-cassino da cidade têm suítes para reuniões, Wi-Fi e todas as outras comodidades necessárias para atender aos viajantes de negócios de todo o mundo. Além, obviamente, das mais famosas atrações de Las Vegas, os cassinos, estarem disponíveis.
DeAngelo continuou, dizendo que não há necessidade de os hóspedes estarem presos em seus quartos quando “podem estar trabalhando de dia e brincando à noite”. Aproveitando o gancho, a empresa disse em comunicado que compara isso ao espaço de trabalho do WeWork, mas com restaurantes, lojas, piscinas e jogos disponíveis.
DeAngelo também acrescentou que trabalhar “de qualquer lugar é o novo normal”. (AEROIN – Carlos Roman)
Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta