Jogo do bicho já é encontrado em páginas na internet

Compartilhar

Rio – Resultados do jogo do bicho — considerado contravenção penal no Brasil — em papeizinhos colados em postes e paredes não são mais as únicas fontes do apostador para saber se sua ‘fezinha deu na cabeça’.

O antigo ‘vale o que está escrito’ se modernizou, dando lugar também ao ‘vale o que está digitado’. Já há vários sites na internet que não só divulgam as apurações diárias, como também incentivam e geram apostas, dão dicas para quem tenta se dar bem com palpites, fazem análises dos resultados e contam a história de um dos jogos de azar mais populares e antigos do país.

Mas a iniciativa pode dar zebra. Pelo menos no Rio, onde a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) abriu inquérito para investigar a origem, o conteúdo dos sites, e se empresas — algumas internacionais, voltadas para telefonia, cursos de línguas e vendas de automóveis, que aparecem como supostas patrocinadoras das páginas — realmente estão contribuindo para a divulgação da jogatina ou tendo as imagens usadas sem permissão.

A polícia desconfia que há ‘águias’ manipulando as telas de computador para cometer outros crimes, como estelionato. Em nota, a Polícia Civil informou que o delegado Alessandro Thiers, da DRCI, não pode se pronunciar sobre o assunto, pois as investigações ‘correm sob sigilo’. A especializada tenta identificar a hospedagem dos sites, alguns deles no exterior.

Num dos sites, um homem que se apresenta como promotor de uma das comunidades criadas na internet incentiva internautas a participarem de uma suposta promoção, intitulada a ‘A Nova Era do Jogo do Bicho’.

Outro oferece um tal ‘kit do palpite inteligente’. Um terceiro, para chamar a atenção dos interessados, divulga até um dispositivo chamado de ‘palpitômetro’.

Pela Lei das Contravenções, de acordo com o artigo 58, jogar no bicho ou praticar qualquer ato relativo à sua realização ou exploração, resulta em prisão, que pode variar de quatro meses a um ano, e multas, cujos valores são estabelecidos pela Justiça.

Em 2013, o jogo do bicho movimentou quase R$ 19 bilhões, segundo o Instituto Brasileiro Jogo Legal, uma ONG que pesquisa loterias e sorteios, e defende a legalização dos jogos de azar. A ONG alega que, com a legalização, o jogo do bicho criaria mais de 520 mil empregos formais e mais R$ 6 milhões em impostos para a União.

Em um ano, cinco mil são presos

De acordo com estatísticas do Instituto Brasileiro Jogo Legal, foram presas 5 mil pessoas somente ano passado, entre apostadores e operadores do jogo do bicho no Brasil. No mesmo período, 1.138 pontos de apostas foram fechados, assim como 463 bingos.

Mesmo sendo considerada uma das maiores forças criminosas, que subsidia grandes eventos, como o Carnaval, em várias regiões, a contravenção ainda fascina a maior parte dos cariocas.

Segundo a última pesquisa divulgada sobre o tema pelo Ibope, 59% de 805 moradores ouvidos no Rio, Baixada, Niterói e São Gonçalo são a favor da legalização do jogo do bicho. Na capital, o número chegou a 60%. Na mesma pesquisa, 58% das pessoas são contra tornar a atividade crime e apenas 33% são favoráveis. (O Dia – Francisco Edson Alves)
 
Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta