Justiça nega alvará para bingo beneficente da Apae de Florianópolis

Bingo I 04.08.22

Por: Magno José

Compartilhe:
Na sentença, o juiz considerou que a atividade é ilícita e considerada infração penal

O juiz Eduardo Kahler Ribeiro, da 4ª Vara Federal da Capital, negou pedido da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Florianópolis para expedição de alvará judicial que autorize a realização de bingos de cartela, com caráter beneficente e sem fins lucrativos, em dias e horários permitidos pela legislação municipal. O magistrado considerou que a atividade é ilícita e considerada infração penal, revela Fábio Gadotti no ND Mais.

“Considerando que, a teor da norma do artigo 50 da Lei das Contravenções Penais, [combinado com] o artigo 2º da Lei nº 9.981/00 [revogou a lei que liberava os jogos de bingo], a exploração do jogo de bingo configura contravenção penal, o pedido de ser indeferido”, registrou o juiz na sentença desta terça-feira (2).

A Apae alegou que, na condição de associação sem fins lucrativos, o objetivo seria arrecadar mantimentos e obter recursos para custeio de seus projetos sociais. Cabe recurso da decisão ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre.

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.