MGA da Gávea ficou abaixo do esperado

Compartilhar

A maratona turfística de 17 páreos, realizada ontem[sexta-feira (26)] à tarde no Hipódromo da Gávea, sem dúvida foi um admirável esforço da diretoria para driblar os efeitos da pandemia. Protocolo rígido, portões fechados, páreos equilibrados e de qualidade. Tudo correu dentro da normalidade e os turfistas, apesar de barrados no baile, assim como os proprietários e criadores, puderam acompanhar as corridas ao vivo na TV Turfe, e pela internet. O Movimento Geral de Apostas (MGA), entretanto, não foi dos melhores. Os R$ 778.865,64 arrecadados pelos cofres do Jockey Club Brasileiro ficaram aquém da expectativa.

O MGA normal de duas programações fatura em média R$ 600 mil, por reunião, ou seja, R$ 1 milhão e 200 mil, em dois dias de corridas. Este é o valor em média, na pior das hipóteses. Num dia de páreos com provas de Grupo 1, como aconteceu recentemente, nos páreos da tríplice-coroa, só o MGA do domingo, ultrapassa os R$ 800 mil. Talvez, por isso, na volta das corridas, prevista para os dias 5 e 6 de abril, serão chamadas duas programações, em dias diferentes, ou seja, segunda e terça-feira. E, caso o número de inscrições seja acima da expectativa, poderá haver uma terceira reunião, na quarta-feira, dia 7. O número cada vez mais reduzido de puros-sangues no rebanho nacional deve sacramentar, em breve, apenas duas reuniões semanais no turfe carioca. Quem viver, verá.

Júlio César Sampaio completa 1.900 vitórias

O treinador Júlio César Sampaio, o popular “Alemão”, completou 1.900 triunfos em sua carreira profissional, com o cavalo Gambini, de propriedade de Marcos Garcia, no 14º páreo, de ontem[sexta] à tarde, no Hipódromo da Gávea. Claudinei Farias conduziu com precisão o ganhador, que foi apresentado em forma atlética exuberante pelo treinador. O gaúcho Júlio César Sampaio, desde a chegada ao turfe carioca, mantém excepcional média de aproveitamento. Conquistou a maioria das provas do calendário clássico nacional, com destaque para o triunfo no GP Brasil, com Aerossol, do Haras Santa Maria de Araras, e a tríplice-coroa, com Plenty of Kicks, do Stud São Francisco da Serra, sem dúvida os dois melhores puros-sangues que cuidou. Porém, foi com o Stud Alvarenga, onde escreveu algumas das suas mais consistentes campanhas, inclusive, com o velocista Desejado Thunder, que reinou absoluto nos páreos de velocidade em sua época. Sem dúvida, um profissional de alto gabarito. (Raia Leve – Paulo Gama)

***

Mystic Guide mantém hegemonia da Godolphin na Dubai World Cup (G1)

Filho de Ghostzapper confirmou seu favoritismo, na prova com US$ 12 milhões de dotação

Neste sábado (27), em Meydan, produtos de 3 e mais anos disputaram a Dubai World Cup (G1), em 2.000m na pista de areia, com dotação de US$ 12 milhões. Mantendo a hegemonia da Godolphin (vitoriosa nas últimas 3 edições, conta com 9 dos 25 troféus do páreo), venceu o norte-americano Mystic Guide, 4 anos, filho de Ghostzapper na múltipla ganhadora de G1, Music Note (A. P. Indy), criado pela Gainsborough Farm.

Com Luis Saez “up”, Mystic Guide derrotou, com enorme autoridade, o japonês Chuwa Wizard – vencedor de graduação máxima, em seu país natal – por 3 corpos e ½. Chuwa Wizard, aliás, evitou uma dobrada da Godolphin, vez que o terceiro colocado foi Magny Cours, outro defensor da farda azul.

Treinado, nos Estados Unidos, por Michael Stidham, Mystic Guide passa a contar com 4 vitórias em 8 saídas. Vencedor do Jim Dandy Stakes (G2), em seu país natal, Mystic Guide completou o percurso no tempo de 2:01.61.

Outro aguardado momento da reunião, a Dubai Sheema Classic (G1), em 2.400m na grama, com bolsa de US$ 5 milhões, marcou novo êxito, em fase esplêndida, de Mishriff, 4 anos, filho de filho de Make Believe e Contradict (Raven’s Pass), de criação de Nawara Stud e propriedade de Ayah bint Faisal.

Vindo de vencer a Saudi Cup, na areia, o conduzido de David Egan derrotou a dupla de japoneses, Chrono Genesis e Loves Only You, em final de emoção. Treinado por John Gosden, Mishriff parou os relógios no tempo de 2:26.65, obtendo sua 6ª vitória em 10 corridas. (ABCPCC)

Comentar com o Facebook