Ministro do Turismo admite que só Rio e São Paulo terão cassinos em resorts

Compartilhar
Ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, em entrevista ao programa Pânico disse que a legalização dos jogos ou dos cassinos em resorts será decidida pelo Congresso Nacional (Foto: Roberto Santos/MTur)

Em entrevista ao programa Pânico, da Jovem Pan, nesta quarta-feira (7), o ministro do Turismo, Gilson Machado afirmou que os empresários dos cassinos pretendem investir apenas no Rio e São Paulo. O representante do governo federal disse também que a decisão sobre a legalização será do Congresso Nacional, mas também defendeu na entrevista o PL 4495/2020, de autoria do senador Irajá (PSD-TO), que propõe a implantação apenas um resort integrado com cassino ou cassino em resorts por estado.

Ao ser questionado sobre a possibilidade da liberação de cassinos no Brasil, Gilson Machado revela a existência de projetos, que só podem ser aprovados pelo Congresso, e aponta as características do jogo nos Estados Unidos.

Perguntado se o Brasil poderia ter uma Las Vegas brasileira, o ministro respondeu.

“Nós fizemos uma missão oficial o ano passado e fomos recebidos pelo governo americano. Foi uma missão composta por nós, na época eu era presidente da Embratur, representante do Senado e da Câmara dos Deputados. Nós tivemos acesso ao controle dos resorts integrados. O que é um resort integrado? Resort integrado é um equipamento turístico que ele tem centro de convenções, hotelaria, lojas….vou dar um exemplo, o Venetian, que é do Grupo Sands. O Venetian tem um centro de convenções, que recebe por semana 180 mil pessoas e no ‘hotelzinho’ dele não cabe que só tem 11 mil quartos, mas ele lota os hotéis do entorno. Agora fora isso, dentro dele tem mais de 200 lojas, restaurantes, tem tudo….teatro tem dois, que tem shows ao mesmo tempo. Quando a gente estava lá tinha dois shows ao mesmo tempo do Willie Nelson e do Rod Stewart na mesma hora e todos os dois lotados. E tem a parte dos resorts que é o cassino, que representa 24% do faturamento de um resort integrado. É extremamente controlado pelo governo americano. O ‘cara’ que é viciado em jogo ele não consegue jogar lá. Eles identificam e já tiram o ‘cara’, já tem um sistema de proteção. Então se o ‘cara’ vier montar um cassino aqui ou na Argentina e fizer uma coisa errada aqui, ele perde a concessão lá por causa do compliance dele lá. Ele montou cassino em Singapura o governo americano fiscaliza o mundo todo”, disse o ministro do Turismo.

Gilson Machado também pontuou que a legalização dos jogos ou dos cassinos em resorts será decidida pelo Congresso Nacional.

“Através da Universidade de Nevada, nós obtivemos dados. Mas quem vai decidir isso não somos nós, quem vai decidir isso é o Congresso Nacional. Tem vários projetos no Congresso”, defendeu.

Perguntado se tem algum projeto de lei para legalização dos cassinos, o ministro respondeu e manifestou preferência para o projeto do senador Irajá.

“Tem um projeto do senador Irajá ‘Abreu’, que é um projeto muito semelhante ao dos americanos. Agora, a hora que o Brasil abrir para isso [cassinos em resorts] nós temos já dados que vão vir mais de US$ 30 bilhões para serem investidos no Brasil assim… [neste momento o ministro estala os dedos] automaticamente”, sugeriu.

Sobre a localização preferencial para a implantação dos cassinos em resorts o ministro confirmou que os empresários só terão interesse em investir nestes empreendimentos em São Paulo e no Rio de Janeiro.

“A região hoje que os donos dos cassinos escolheriam seria São Paulo e Rio de Janeiro, porque é perto do aeroporto. Las Vegas passou 90 anos para virar Las Vegas. Não é você chegar hoje em uma região pobre do Brasil, como no Nordeste que não tem estrutura e não tem nada e que vai demorar 20 anos pelo menos para poder construir um aeroporto e construir tudo”, revelou Machado.

Comentar com o Facebook