“Não estamos inventando o que não existe, a ideia é regulamentar para que deixe recursos no Brasil e gere empregos”, Arthur Lira

Destaque I 15.02.22

Por: Elaine Silva

Compartilhe:
Lira pretende usar sessão remota para aprovar PL dos jogos de azar
O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira incluiu a legalização dos jogos de apostas como uma das pautas que será apreciada pelo plenário da Casa

Em entrevista do Valor, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), reconheceu que com relação aos jogos de apostas no país existe um fato social que deve ser enfrentado pela Câmara dos Deputados.

Na entrevista, Lira diz que as reformas só andarão depois de outubro, assim como a eleição do Tribunal de Contas da União (TCU), mas antecipa o exame de uma PEC para acabar com os terrenos de marinha, defende um “marco das garantias” para estimular o acesso ao crédito, a legalização dos jogos de azar e o projeto para criminalizar a propagação de “fake news” – que “não pode virar uma polêmica nacional” sobre a proibição do Telegram. Para ele, a plataforma, uma das favoritas dos bolsonaristas, precisa abrir uma sede no país para se submeter às leis nacionais.

Veja o que o presidente da Câmara disse sobre a legalização dos jogos na entrevista:

Valor: A legalização dos jogos de azar também será aprovada?

Lira: A bancada evangélica fez apelos para não votar no sistema remoto. Após o Carnaval, voltaremos ao sistema presencial, mas podemos votar o projeto antes. Os jogos existem no Brasil, sob os olhos de todos, e não pagam um real sequer de imposto. Patrocinam da seleção brasileira ao time mais humilde, tem 800 mil máquinas de bingo funcionando no país. Não estamos inventando o que não existe, a ideia é regulamentar para que deixe recursos no Brasil e gere empregos.

Reunião de líderes

A votação desta terça e quarta-feira será decidida na reunião dos líderes desta terça-feira (15). Segundo a coluna ‘Pra Começar a Semana’ do UOL, o “plenário da Câmara pode votar o projeto de lei que libera jogos de azar – a data ainda não foi marcada. A chance de aprovação é alta, apesar da oposição da bancada evangélica. A CNBB também disse que é contra”. Já o site político Poder 360 tem visão diferente. “A legalização dos cassinos também está no radar, mas a deliberação é menos provável. Há muita resistência da Bancada Evangélica.”

Comentar com o Facebook
error: O conteúdo está protegido.