Polícia detém homem por suspeita de fraudes com fichas de jogo falsas no valor de 190 mil dólares em Macau

Compartilhar
As autoridades encontraram dois hologramas de segurança falsificados com o logotipo da Sociedade de Jogos de Macau na posse do suspeito de 51 anos, que poderá ser condenado de 2 a 10 anos de prisão (Imagem: Pixabay)

A Polícia Judiciária (PJ) deteve um homem de 51 anos do interior da China, na segunda-feira (4), num cassino do centro de Macau, por suspeita de fraude de valor consideravelmente elevado num caso de fichas de jogo falsas, e apreendeu dois hologramas de segurança falsos com o logotipo da Sociedade de Jogos de Macau (SJM) que poderiam ser usados para falsificar fichas de jogo.

A investigação começou no final do ano passado após a descoberta de 38 fichas de jogo falsas num casino do centro da cidade. “No dia 26 de Outubro do ano passado, a PJ recebeu uma queixa de um casino após serem encontradas várias fichas de jogo falsas, com um valor unitário de 5 mil dólares de Hong Kong cada, em várias mesas do casino, na tesouraria e na posse de três vítimas. No total foram encontradas 38 fichas de jogo falsas, com um valor total de 190 mil dólares de Hong Kong”, referiu um porta-voz da PJ em conferência de imprensa.

Através do sistema de vídeo-vigilância do casino, os investigadores identificaram dois suspeitos. “Entre as 8h00 da manhã e as 18h da tarde, os dois suspeitos circularam no casino e trocaram fichas falsas por fichas verdadeiras em diversas mesas de jogo antes de trocarem por dinheiro na tesouraria. Quando os suspeitos souberam que foram descobertas fichas de jogo falsas no casino abandonaram o local e regressaram ao interior da China a 26 de outubro”, explicaram as autoridades, frisando que houve três pessoas no interior do casino que trocaram fichas de jogo com os suspeitos.

De acordo com a PJ, um dos suspeitos foi detido na passada segunda-feira na posse de dois hologramas de segurança falso com o logótipo da SJM. Durante o interrogatório, o homem de 51 anos confessou o crime. “No dia 8 de janeiro, um dos suspeitos entrou em Macau através de um dos postos fronteiriços e no dia 11 de janeiro, por volta das 11h00 da manhã, entrou num casino da zona central de Macau onde acabou por ser interceptado. O suspeito confessou o crime e assumiu ter adquirido as fichas de jogo falsificadas em lojas online a partir do interior da China. No total, o suspeito disse ter adquirido 150 fichas de jogo falsificadas de valor unitário de 5 mil dólares de Hong Kong por 60 mil yuan. No dia da ocorrência do crime [26 de outubro de 2020], o suspeito disse que levou 100 fichas de jogo falsificadas para o casino. Quando ouviu que tinham sido encontradas fichas de jogo falsas saiu de Macau e alegou ter destruído o resto das fichas”, afirmou o porta-voz da PJ.

Em relação ao dinheiro levantado na tesouraria do casino, o suspeito alegou ter “gasto uma parte e transferido 90 mil dólares para uma conta bancária do interior da China”.

Na posse do suspeito, a PJ encontrou dois hologramas de segurança de fichas de jogo falsas com o logotipo da SJM de “elevada qualidade” e praticamente “impossível de distinguir de um verdadeiro à vista desarmada”. Segundo a PJ, os dois hologramas de segurança de fichas de jogo foram entregues ao Departamento de Ciências Forenses para análise e considerados prova. “A PJ quis saber porque o suspeito tinha na sua posse os dois hologramas falsos e se iria praticar mais crimes com ele. O suspeito foi ontem presente ao Ministério Público por suspeita de burla de valor consideravelmente elevado. A PJ continua à procura de outros cúmplices e do paradeiro do dinheiro burlado”.

Caso seja condenado pelo crime de burla de valor consideravelmente elevado, o suspeito poderá ter de cumprir 2 a 10 anos de prisão. (Ponto Final – Macau)

Comentar com o Facebook