Projeto dos cassinos resorts pode ser votado ainda em 2020

A votação pode ocorrer após as eleições municipais, que se encerram em 29 de novembro. Cassino pode trazer milhões em impostos e vagas de emprego

Compartilhar
Croqui do Cassino no Porto do Rio

 

A legalização dos jogos no Brasil é uma pauta importantíssima para o Brasil, talvez só perca para a dos royalties. Pouco falada fora de alguns círculos, há projetos de um Cassino Resort no Rio de Janeiro, com hotéis, centro de convenção, centro de exposição, um grande shopping e com 5% do empreendimento sendo um cassino. O total de investimento seria de US$ 10 bilhões, gerando 50 mil empregos, isso em 2018. Não é por outro motivo que o DIÁRIO DO RIO é favorável a abertura de um cassino em nossa cidade.
Mas não é apenas o Jornal, a maioria dos deputados federais são favoráveis a legalização dos jogos de azar, em uma sondagem feita pela Paraná Pesquisas, contratada pelo portal de notícias BNLData, em parceria com o Instituto Brasileiro Jogo Legal – IJL, em junho de 2019, mostra que 52,1% dos deputados federais são favoráveis, 40,8% dos parlamentares são contrários e 7,1% não sabem/não responderam.
A pesquisa apontou os motivos contrários a legalização: lavagem de dinheiro (20,6%), aumento da patologia (17,2%), religioso (10,1%), fiscalização deficitária (9,7%) e ausência de controle (9,2%). Bem, convenhamos que lavagem de dinheiro é feita a vontade no Brasil sem necessidade de liberar ou não cassinos. E que o jogo já é legalizado, há as apostas em sites gringos, as corridas de cavalo, raspadinhas, loterias e por aí vai.
Contra, a bancada evangélica, e olha que o atual prefeito do Rio de Janeiro, bispo Marcelo Crivella (Republicanos) já deu várias declarações a favor da liberação dos cassinos. Afinal, é o cassino que pode retornar o Rio de Janeiro a uma época de ouro.
O pastor Marco Feliciano (PSC-SP), e um dos líderes da Frente Evangélica, disse que o grupo é totalmente contra a ideia e que não há possibilidade de negociação. Afinal, o jogo leva ao vício e destrói uma família. Só que o desemprego e a pobreza destrói muito mais.
Só no Rio de Janeiro o turismo pelos jogos de azar poderia injetar R$ 27 bilhões por ano. Para efeito de comparação, o Rock in Rio 2019 movimentou R$ 1.7 bilhão. E em tributos o Brasil poderia arrecadar R$ 58 bilhões.
O deputado Sóstenes Cavalcante (DEM/RJ), em matéria da Folha, também joga contra o Estado que lhe dá votos e diz que o deputado evangélico que apoiar a legalização de qualquer modalidade de jogo de azar terá um enorme desgaste no seu eleitorado. Diz que a Bíblia seria contra… mas não há nenhum trecho do livro sagrado para cristãos proibindo ou permitindo os jogos de azar. Ligado ao Pastor Silas Malafaia, diz que o cassino abriria a porta para lavagem de dinheiro, crime pelo qual seu líder já foi indiciado em 2017.

A Folha também mostra que não são apenas os evangélicos contra a liberação do jogo, a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e também diz que os cassinos podem ser instrumentos para que recursos provenientes de atividades criminosas assumam o aspecto de lucros e receitas legítimas.
Ao que parece, tanto os evangélicos e os bispos católicos, creem que vivemos em um Brasil que não há crime organizado, nem lavagem de dinheiro. E que essa passaria a existir só porque liberaram alguns cassinos.
Para o advogado Witoldo Hendich Júnior, especialista em regulamentação de jogos, “O discurso que afirma que o jogo faz mal para o país é desprovido de ciência e de argumentos técnicos”.
Além de Crivella, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), é favorável a liberação dos jogos. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu aval ao seu filho, Eduardo Bolsonaro (PSL) em setembro de 2020 para entrar nas articulações para autorizar cassinos no Brasil. É o segundo filho do presidente da República a se envolver na liberação da jogatina, de acordo com O Antagonista. Em janeiro, o senador Flávio Bolsonaro esteve em Las Vegas, onde encontrou com Sheldon Adelson, magnata dos cassinos, e voltou encantado. Estavam com ele o deputado Hélio Lopes e o presidente da Embratur, Gilson Machado, empresário do setor hoteleiro no Recife. Machado é defensor e interessado na defesa da liberação dos cassinos. Voltaram com dados, de novo, econômicos. Nos Estados Unidos, a indústria dos jogos gera 1,7 milhão de empregos em mais de duzentas profissões e remunera seus trabalhadores em 74 bilhões de dólares por ano.
A novidade agora é, de acordo com o Blog do PCO, é que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, tenta superar os entraves políticos para colocar em votação, ainda neste ano, o Projeto de Lei que regulariza os cassinos resorts no Brasil. A votação pode ocorrer após as eleições municipais, que se encerram em 29 de novembro. (Diário do Rio de Janeiro – Quintino Gomes Freire)

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta