Anthony Garotinho diz ser a favor da legalização do jogo no Brasil

CompartilharSANTOS. O candidato do PSB à Presidência, Anthony Garotinho, disse ontem, durante gravação de um programa de televisão em Santos, que é a favor da legalização dos jogos no Brasil como forma de incentivar o turismo. Em entrevista ao programa “Opinião”, da TV Mar, Garotinho disse que é hipocrisia a…

Compartilhar

SANTOS. O candidato do PSB à Presidência, Anthony Garotinho, disse ontem, durante gravação de um programa de televisão em Santos, que é a favor da legalização dos jogos no Brasil como forma de incentivar o turismo. Em entrevista ao programa “Opinião”, da TV Mar, Garotinho disse que é hipocrisia a existência de jogos administrados pelo governo:
— Sou favorável. Questiono a hipocrisia do governo, que permite que existam jogos como Raspadinha, loterias, Mega-Sena. Se existem esses, por que proibir outro tipo de jogo?
A pergunta sobre o jogo foi feita pelo ex-deputado Gastone Righi, diretor da emissora e um dos entrevistadores, que sempre defendeu a reabertura dos cassinos no país. Gastone, que é presidente estadual do PTB, fez a pergunta quando o candidato do PSB falava sobre os incentivos que dará ao turismo como forma de estimular a criação de empregos.
Ainda na entrevista à TV Mar, que vai ao ar hoje ao meio-dia, Garotinho afirmou que as pesquisas que serão divulgadas na terça-feira vão mostrar empate técnico entre ele, Ciro Gomes (Frente Trabalhista) e José Serra (PSDB), embora o ex-governador esteja hoje em quarto lugar.
A programação de Garotinho em Santos e São Vicente, organizada pelo prefeito Márcio França (PSB), coordenador da campanha do partido à Presidência, sofreu atraso de mais de quatro horas. O candidato disse que ficou de manhã com a família, em função do falecimento de uma tia de sua mulher, Rosinha Matheus.
Ele participou de encontros com evangélicos na Assembléia de Deus e com batistas na Câmara de Vereadores de São Vicente. Nos encontros, pediu que orem e trabalhem para que ele consiga chegar ao segundo turno.
No encontro com os batistas, o pastor Nilton Peniel comparou a participação de Garotinho na campanha com a luta de Davi contra Golias.
— A matemática diz que dois mais dois são quatro. Mas a matemática de Jesus é a de Davi contra Golias — disse o pastor Nilton, aplaudido por cerca de 200 pessoas.
O candidato reafirmou sua convicção de que vai estar no segundo turno ao lado de Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
— Lula está fazendo cafuné nos banqueiros e recebeu o apoio do senador José Sarney (PMDB-AP), cujo governo como presidente da República já teve índices de inflação que chegaram a 80% e que enfrentou a maior CPI de corrupção do país. Como dizer que esse candidato é de oposição? — perguntou Garotinho.
Jogo não é pecado
Jogar em cassinos e fazer sua fezinha em jogos de azar não é pecado para os presbiterianos. Pelo menos, a Igreja Presbiteriana não tem uma posição oficial sobre o assunto. É o que afirma o teólogo e filósofo Eduardo Rosa Pedreira, pastor da Comunidade Presbiteriana da Barra da Tijuca. Ele, no entanto, ressalta que não recomendaria os jogos aos fiéis.
— Não é uma coisa (o jogo) que deva ser feita por alguém que guarda a sua fé. É que existe a possibilidade de o jogo virar um vício. Além disso, acho que há maneiras mais úteis para se usar o dinheiro — afirma Eduardo, de 38 anos.
Pastor há 16 anos, ele diz que a “Bíblia” não fala diretamente no assunto.
— Há muita coisa hoje que não é citada na ‘Bíblia’. Mas ela diz que a gente deve evitar a aparência do mal. Para mim, jogos de azar têm aparência do mal — afirma, acrescentando que as pessoas devem sempre usar o bom senso.
O Globo – RJ – Adauri Antunes Barbosa

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta