Loteria Federal completa 40 anos e prepara maior sorteio do ano

Compartilhar

A mais antiga das loterias, a Federal, está completando 40 anos no próximo dia 15 de setembro. Ao longo de toda a sua história, a Loteria Federal vem conquistando fiéis apostadores, premiando muitos deles e se constituindo uma importante fonte de recursos para programas sociais e assistenciais do Governo Federal.
Pode-se dizer que a Loteria Federal foi a grande responsável pelo sucesso de outras sete loterias subseqüentes. Aproximadamente 60% da arrecadação dessas loterias é repassada para a área social do Governo Federal como, por exemplo, o Crédito Educativo, o Fundo Nacional da Cultura e Seguridade Social, além de entidades não-governamentais, como o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e o Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB). Os dois últimos começaram a ser beneficiados pelo repasse em agosto de 2001 e juntos recebem 2% do montante. Nesses 12 meses, o COB somou R$ 50.058.748,69 em recursos. Enquanto, no mesmo período, o CPB recebeu R$ 8.833.894,26. Assim, além de subsidiar financeiramente programas do Governo Federal, as Loterias estão contribuindo para a qualificação do esporte amador.
A Loteria Federal tem como principal característica fidelizar seus clientes ao longo desses 40 anos. O colecionador Celso Geraldo Filho é um deles. A paixão veio de seu falecido pai, Celso Geraldo, que apostava na Loteria Federal desde o princípio e chegou a ser contemplado na década de 1970. Em 1978, Celso começou a apostar no número 26786, e nunca mais parou. Por diversas vezes recebeu prêmios secundários. Desde 1993, começou a apostar também na data de seu nascimento 00454. Para ele, o apostador se torna fiel à Federal por ser a mais fácil de ganhar. “Não é à toa que o slogan dela é: a cada cinco bilhetes, um é premiado”, garante.
Outro fiel apostador é o empresário lotérico de 73 anos, Giuseppe Romano. Proprietário da segunda Casa Lotérica de São Paulo, orgulha-se de andar há 40 anos com o primeiro bilhete da Loteria Federal. Ele justifica: “o bilhete é meu ponto de sorte”. Segundo o colecionador Sylvio Luongo, as primeiras edições dos bilhetes das loterias traziam estampas dos serviços públicos; o primeiro tinha a pesca como tema.
Exposição e Sorteio
No dia 13 de setembro será inaugurada a exposição que conta a história da Loteria Federal. Serão apresentadas, no Conjunto Cultural da Caixa de São Paulo, 45 pinturas em óleo e acrílico sobre tela, produzidas entre os anos de 1969 a 1998, por trinta pintores brasileiros, utilizadas como estampa dos bilhetes durante esse período. Entre os artistas, destacam-se Antônio Poteiro, Di Cavalcanti, Aldemir Martins e Djanira. Os temas selecionados pela curadoria incluem festas populares, datas comemorativas e históricas, além de personagens típicos nacionais.
O sorteio de aniversário da Loteria Federal vai acontecer no próximo sábado, 14 de setembro, em Feira de Santana, e vai distribuir o maior do ano: R$ 1,2 milhão para os prêmios principais. No total, serão 45 mil prêmios que somam mais de R$ 3,2 milhões.
A história
Os primeiros registros históricos sobre as loterias mostram que elas já existiam nos Países Baixos no ano de 1291 e na cidade de Augsburg, na Alemanha, em 1470. Itália, Inglaterra e França formam suas primeiras loterias no século XVI. Na Espanha, em 1763 surge a primeira loteria com administração estatal e finalidade social. Ela continua funcionando até hoje, sendo uma das de maior arrecadação do mundo.
No Brasil a primeira loteria foi criada pelo governador de Minas Gerais, em 1784, em Vila Rica, destinada a obter recursos para a construção do prédio da Câmara e da Cadeia. A primeira regulamentação oficial aconteceu em 1844, e tratou da concessão de loterias realizadas na Corte.
Em 1961, um decreto do presidente Jânio Quadros unificou as loterias, e determinou que é de competência exclusiva da União legislar sobre o sistema de sorteios, cabendo à Caixa, empresa que representa o Estado nesse campo, fazer a exploração das loterias com exclusividade. Um ano depois saía a primeira Loteria Federal.
Desde então, para a população brasileira, as loterias administradas pela CAIXA representam mais do que o sonho de um futuro milionário, constituindo-se, sobretudo, em uma forma de arrecadar recursos para investimentos em programas sociais, que resultam em benefícios a toda a sociedade.
Assessoria de Imprensa da CEF

Comentar com o Facebook

Deixe uma resposta